O que você faz após conhecer novas pessoas? Como você mantém um bom relacionamento com elas? Como você faz para estar presente em suas vidas? O mundo gira em torno do social, e a forma como você se relaciona reflete no seu desempenho enquanto empreendedor.

Networking não se resume a cinco minutos de apresentação da empresa, à entrega de cartões, a apertos de mãos nem a abraços calorosos. Um bom networking é mais do que uma lista telefônica (ou de e-mails). É, antes de tudo, a construção contínua de uma rede de contatos que você pode contar (e eles também!). Na prática, fazer networking é nutrir os seus contatos, criando um engajamento capaz de trazer novos clientes, investidores, parceiros, etc.

Por isso, é bom começar sabendo como criar uma boa estratégia de networking e o que (não) fazer para colocar a sua estratégia em prática.

Como criar uma estratégia de networking

Para conquistar uma rede de contatos sólida, é necessário muito esforço e alguns anos de trabalho. Os principais passos são:

1) Saiba o que você quer;

2) Esquematize as pessoas que podem ajudá-lo (clientes, fornecedores, colaboradores, etc.);

3) Mostre a essas pessoas a importância que podem ter nessa jornada.

Com a sua estratégia definida, é bom entender como não fazer networking.

Como (não) fazer networking

  • Não confunda LinkedIn com Facebook

Dizer que você tem uma rede no LinkedIn baseada em números é um erro. A plataforma só funcionará se as pessoas se lembrarem de algo positivo que você já fez.

O fundamental é criar conexões significativas e que agreguem algum tipo de conhecimento para ambas as partes. Adicionar pessoas aleatoriamente não garante nenhum benefício.

  • Não procure pelas pessoas apenas quando precisar

Uma dica ou uma conexão podem fazer a diferença tanto para quem está começando um negócio como para empreendedores conceituados. Às vezes, destinar alguns minutos ajudando alguém pode não ser nada quando comparado ao retorno que você poderá ter no futuro, além de aprofundar a sua relação com essas pessoas.

Lembre-se de que uma ajuda hoje, pode ser a indicação de amanhã. (Mas também não pense apenas no retorno. Acima de tudo, ajude como se estivesse ajudando a si mesmo.)

  • Não deixe de responder os seus e-mails

Deixar as pessoas sem resposta não é uma atitude bem vista quando o assunto é valorizar as suas relações e manter conexões significativas. Em casos de respostas negativas ou incômodas, faça assim mesmo. Adote um tom cordial e responda todas as pessoas que entrarem em contato com você.

  • Não perca oportunidades

Antes de sair às pressas para trocar cartões, o mais importante é mostrar quem você é e qual é a sua marca. É por isso que o empreendedor precisa de uma boa dose de simpatia e uma fala certeira que sintetize os ideais da empresa (que, cá entre nós, vale mais do que um cartão enfiado no bolso!).

Agora que você já sabe o que não fazer, descubra as melhores práticas e comece a alimentar a sua rede ainda hoje.

As melhores práticas de networking

  • Compartilhe conteúdos relevantes

Artigos, e-books, webinars, podcasts: todos são válidos. Um conteúdo de newsletter ou infográfico pode ser válido para alguém. Mande aquela mensagem “Estava lendo isso e lembrei de você na hora” ou “Você se lembra daquela conversa que tivemos? Acho que esse artigo pode ser interessante!”. Também vale criar os seus próprios conteúdos e criar um envolvimento nas redes.

  • Promova algumas reuniões ou cafés

São hábitos assim que conectam pessoas e ideias. Mesmo com uma rotina apertada, tente planejar um almoço ou uma pequena reunião com algumas pessoas. Se atente a convidar pessoas com os mesmos interesses e se prepare para conectá-las.

  • Participe de eventos

Se você quer se conectar às pessoas, precisa ir ao encontro delas. Muitos empreendedores acabam esquecendo (ou por falta de oportunidade, rotina) de palestras, congressos, feiras e simpósios e perdem a chance de criar novas conexões e entender o momento do mercado.  Nesses eventos, você conhece os movimentos da concorrência e as oportunidades de crescimento.

Ao tomar o networking como uma estratégia de negócio – e não uma consequência –, o empreendedor tem mais facilidade em ser ajudado diante dos desafios do negócio, além de estar mais próximo de possíveis clientes e investidores.

Outra oportunidade de criar grandes conexões é em cursos, como as especializações e MBAs. Como o foco da pós-graduação é mais técnico, prático, o encontro entre grandes empreendedores é inevitável. Então, aproveite e matricule-se na pós-graduação do Unianchieta!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreve seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui